Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

12 Mai, 2015

GAROTADA

 

Este termo já andou aí nas bocas do mundo, ainda não há muito tempo. Quem se dá ao trabalho de se manter atualizado através de fontes diversificadas, lembrar-se-á certamente que foi a propósito da justiça.

Agora, voltou à tona de água, exatamente a propósito do mesmo assunto. E verifica-se que o termo garotada continua apropriado, apesar de haver junto dela, gente que, pelo que aparenta no rosto, já tem uma certa idade.

O grande problema que o país enfrenta atualmente é ter, ao mesmo tempo, nos diferentes níveis do poder, aquela garotada de antigamente e esta garotada de agora. Toda ela em perfeita sintonia nas traquinices.

Já sabemos que a garotada é irreverente e imprevisível. Daí que tenha de haver sempre o cuidado de não deixar ultrapassar os limites do razoável. Isto, a todos os níveis de quem tem a responsabilidade de gerir o país.

A garotada tem muita propensão para se divertir à custa dos flagelos que consegue infligir aos mais crescidos. É claro que até os mais idosos são vítimas. Mas são também os mais idosos que pecam por ser permissivos.

Sobretudo, quando se trata da garotada da família, já que as vítimas mais prejudicadas são sempre as alheias. Quantas vezes, toda a família da miudagem se ri com a graça que encontra nos atropelos dos seus petizes.

Comecei na garotada, passei pela miudagem e já vou nos petizes. Claro que não estou a falar daquelas adoráveis crianças que não sabem o que fazem, mas que os pais fazem tudo para que se tornem adultos normais.

Verdadeiramente lamentável é o facto de, nos tempos que correm, ainda haver gente crescida, dita adulta, que é capaz de agir malevolamente, conscientemente, por vingança ou espírito de má-fé. Com todo o prazer.