Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

04 Nov, 2014

HONRA DE PONTO

 

As palavras até dão para brincar. E então, palavras como honra e ponto, dão para uma pessoa se distrair a brincar com elas. Diga-se em abono da verdade que tal só acontece, quando não há mais nada com que brincar.

Brincar com a honra das pessoas é coisa que não devia fazer-se. Mas faz-se. Quando um determinado ponto empenha a sua própria honra para dizer que faz, o que sabe que não vai fazer, ofende a honra de terceiros.

Pior ainda, é quando esse ponto tiver já perdido demasiadas vezes uma honra que, em boa verdade, nunca ninguém lhe viu. Daí que não possa garantir o que julga que faz, invocando que fará disso um ponto de honra.

O ponto de honra, ou a honra de um ponto, é apenas um jogo de palavras, ou um trocadilho. Mas, a tratar-se de um grande ponto, desses que faz a gente morrer a rir quanto fala, podemos tê-lo como um bom cómico.

Portugal tem muitos e bons pontos. O mesmo se não pode dizer dos muitos pontos de honra. Muitos, sim, mas com falta dela. A começar pela ponta da língua. Como nos pareceriam bem melhores se ficassem calados.

Sobretudo, quando se babam com elogios que não têm ponta por onde se lhes pegue. E tanto se baba quem elogia, como quem é elogiado. Mas que grandes pontos. Nem em circos de qualidade encontraríamos melhor.

Ao fim de tantos anos de bons e grandes vultos da nossa existência, tínhamos duas (?) referências (?) históricas (?). Finalmente, alguém (?) descobriu a terceira (???). Ficamos à espera que alguém (?) seja a quarta.