Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

21 Jan, 2016

‘Intrigalhadas’

 

Amanhã é o fim deste desfile de sonhos que se transformará em profundas desilusões para muitos dos candidatos. E não digo para todos, pois há duas evidentes exceções: o presidente Marcelo e o senhor Silva.

Nada de confusões, pois Silvas há muitos. Este a que me refiro é o já ‘célebre’ Tino de Rãs. Que é, para mim, aquele que mais merecia o meu voto. Porquê? Porque este senhor Silva não quer entrar em intrigalhadas.

Preferiu ‘fazer bonequinhos’ enquanto os seus parceiros intrigalhavam. Duvido que alguém, em Belém, fosse capaz de evitar uma ou outra intrigalhada, a avaliar pelo que de lá nos chegou ao longo de alguns anos.

Além disso, o senhor Silva, é o único que supera a boa disposição do já presidente Marcelo. Não tem a voz tão clara, mas tem um jeito muito semelhante de fazer crer às pessoas que é, quem, afinal, gostava de ser.

Só há uma diferença: Marcelo sabe que já é, e Silva sabe que nunca o será. Pois, mas têm a semelhança de que ambos sabem. E o país precisa, exatamente, de muitas pessoas que saibam. Mas que saibam muito.

Que saibam que a diferença que vai de 48 para 52 não é de quatro, mas apenas de dois. Porque o que conta, não é a diferença que vai de 22 para 52, mas sim a soma dos nove (48) de um lado, contra o outro sozinho (52).

Para já, é assim que se fazem as contas. E não é preciso ser matemático para desvendar este intrincalhado. (Aposto que estes termos até agora desconhecidos, ainda vão aparecer pela pena de ilustres (?) conhecidos).

Marcelo está muito feliz, que mais não seja por já só faltar um dia para esta estopada de ter de se manter quase calado. É que já não deve ter pachorra para só ouvir e beijar gente mais velha que ele. Deve ser duro!

Esta coragem de ter prescindido de todo o seu passado político para se ter colocado, ainda que por pouco tempo, ao lado dos seus adversários (inimigos) de sempre, já merece recompensa. E eu vou recompensá-lo.