Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

08 Jul, 2015

LATA, LATA, LATA

 

Obviamente que ouvi o debate dos dois estados na nação. O primeiro estado é o de um país maravilhoso em que todos os portugueses se orgulham de viver. Mais, muito mais. Um país agradecido aos seus chefes.

O segundo estado da nação é um estado de dissimulações, de mentiras e de propaganda eleitoral. Um estado em que os portugueses vegetam e sobrevivem com muito custo, acabando por ter prioridade para morrer.

Foi um debate muito aceso em que ficou provado que o parlamento está preenchido por gente muito diferente. A maioria dos deputados vive bem, tem uma vida desafogada e transpira felicidade.

Para demonstrar esse estado de alma, bate palmas freneticamente, excita-se com o bom e com o mau, desde que sejam oriundos dos seus. Por vezes os seus apoios são ululantes e os seus entusiasmos esfusiantes.

A minoria, tem uma vida desgraçada. Arrepela-se na escolha dos adjetivos para qualificar as atitudes, o despudor e as mentiras dos governantes. Mas não estranha que assim seja. Tudo isso vem muito de trás. E vai continuar.

Neste debate dos dois estados, a minoria é constituída na sua totalidade por gente estúpida que ignora que a democracia é a adulação da maioria. Pois, a maioria é quem mais ordena e quem manda é que diz as verdades.

Além disso, a maioria tem Passos, Portas, Montenegro, Magalhães e Telmo. Tumores de uma democracia que, sem eles, tinha de ser inventada. A democracia do achincalhamento e da inversão de valores.

Se eu fosse, ainda que só um pouquinho importante, atribuía medalhas aos participantes neste debate. E era assim o meu veredicto. Medalha de ouro para a Catarina. De prata para o Jerónimo. Foram os dois melhores.

Para completar o pódio, bronze para Heloísa. Restam os dois maiores. Para Ferro e seus camaradas já lhes basta o consolo de serem os lobos maus daquele rebanho. Para Passos e os seus, a medalha da lata. Velha…