Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

06 Nov, 2015

Líder… sempre!

 

Há estrelas assim. Nasceram líderes e vão acabar por morrer na liderança de qualquer coisa. Passos é, sempre foi e será sempre um líder. Desde pequenino que é assim. Agora ainda mais com o seu vice líder Portas.

Ambos, líder e vice líder, vão passar para a liderança da oposição, já que o líder do PS, Costa, insiste em tirar-lhes a liderança do governo. Havemos de ouvir dizer que é tão honroso estar no governo, como ser oposição.

Vão lá dizer isso ao Assis. Obviamente que ele dirá que depende. No PS, Assis não tolera ser líder da oposição, pois entende que esse papel cabe a Costa. Mas, se for para líder do PS, acha muito bem ser líder da oposição.

Compreensivelmente, temos de concordar que Passos e Portas, eles são inseparáveis, estão a ser muito mais coerentes que Assis. Aceitam humildemente trocar lideranças com Costa. Coisa que Assis não aceita.

Esta noite, lá para as nove e tal, Assis estará na Mealhada, nos Três Pinheiros, rodeado de amigos e de leitões. Aposto que convidou os líderes Passos e Portas para uma vaquinha, mas ignorou o seu odiado líder Costa.

Claro que o líder Costa também não convidou Assis, nem Passos e Portas, três líderes da oposição para, à mesma hora, estarem na SIC a cavaquear com a Ana, sobre o liderante acordo que viabilizará o próximo governo.

Atendendo a que os líderes Passos e Portas agora já admitem tudo, não escandalizaria ninguém que eles aparecessem de surpresa na SIC e pedissem licença à Ana para os deixar fazer mais uma tentativa de diálogo.

Com o líder Costa, obviamente. Provavelmente, a última oportunidade. Se esta falhar, então aos líderes Passos e Portas, só lhes resta na tarde de domingo, apresentarem-se na reunião decisiva do Comité Central do PCP.

A fazer o quê? A tratarem da vidinha, claro. Serem líderes do governo é sempre melhor que serem líderes da oposição. Com ou sem o líder Assis. E isso depende do camarada Jerónimo e dos seus pares do Comité Central.

Agora veja-se como todos os líderes passam a vida a pressionar-se uns aos outros. Talvez até a maior pressão venha do líder de Belém. Não com a voz normal, mas com o lenço junto à boca. Pois, por causa dos gafanhotos.