Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

09 Dez, 2014

MAIS TRÊS MILHÔES

 

Mas que bom. Três milhões, são três milhões e muito mais festejados quando sabemos que não vieram dos bolsos dos mexilhões portugueses mais ricos, nem tão pouco dos mexilhões pobres que já deixaram de o ser.

Desta vez, é visível o regozijo de alguém extremamente inovador. São três milhões que virão de fora, sem que os empresários mais dinâmicos tenham mexido uma palha para tal entrada de dinheiro para melões.

A nossa inovação e educação têm mesmo de caminhar nesse sentido. Com orgulho, alguém revelou tão audacioso plano de receitas, que não são ´goldes’, nem cortes, nem provenientes de longas e dispendiosas viagens.

Como já chega de conversa fiada vamos ao que interessa. Há três equipas nacionais de futebol que vão entrar em ação, hoje e amanhã. Estão em jogo três milhões. Daí que não pode haver falhas. Três milhões em cofre.

Já foi montado todo o esquema de segurança. Uma operação mediática sem paralelo no país e em terras de Sua Majestade, a cargo da nossa eficiente e espetacular AT. Com a proteção da insuperável justiça nacional.

Três milhões que vão suprir muitas e inadiáveis carências do país, ao nível de alguns pais, mas também de muitos filhos. Prioritários, são os campos da verdadeira e sã democracia e da educação despida de falsas teorias.

Hoje e amanhã andam três milhões no ar, a voar, à procura de quem os possa apanhar. O país não precisa deles. O país não prescinde deles. Como também não prescinde da manha e da esperteza de alguns democratas.

Desta vez, o mediatismo estará montado no cerco do voo da águia, ao fim do dia de hoje. Um milhão. Amanhã estará, primeiro, no defumadouro do dragão. Mais um milhão. E no aeroporto, o delírio final. Mais um milhão.

Durante estes dois dias não é necessário chamar a AT, nem a PJ, nem a PSP, nem falar de pais malandros e filhos da mãe. Já há espetáculo garantido. Espera-se e deseja-se que o disfrutem com todo o prazer.

O governo tem obrigatoriamente de enveredar por este caminho. Basta só decretar que não pode haver derrotas. Nem empates. Só vitórias de milhão. Obrigatórias. Senão, choldra com eles. Quem não ganha, perde-se.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.