Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

09 Mar, 2017

'Mentenegra'


Sempre que um claustrofóbico sonha, a humanidade ganha mais um patamar de parvoíces. Mas se forem muitos claustrofóbicos a sonhar ao mesmo tempo, sobre os mesmos desejos, cria-se uma coisa esquisita que pode degenerar em 'democratofobia'.

Essa coisa esquisita, é uma espécie de fobia da democracia, ou seja, um medo mórbido injustificado de que a democracia os asfixie e os deixe naquela situação de perderem os sentidos, e a cabeça, e lhes aconteça cairem na sua tão proclamada claustrofobia.

Há um super deputado no nosso parlamento que bem podia ser conhecido por 'Mentenegra', tal o rodopio de obscuras ideias que se gera naquela cabeça. É o caso da descoberta de uma eventualidade, que acredita não vai acontecer: a realização de eleições antecipadas.

Porque não acredita que o atual governo venha a cair antes do fim da legislatura. Portanto, vem apenas lembrar que, se estiver enganado e o governo cair mesmo, acredita que o país não tem que ir para eleições antecipadas, pois a direita pode muito bem reassumir a governação de imediato, por ter ganho as últimas eleições.

Também acredita que isso pode não vir a acontecer, pois são várias as soluções para essa eventualidade. Mas repetiu até à exaustão que não acredita na descoberta que fez. Pudera, ela é tão inteligente. Tal como é evidente que não acredita que o seu governo saíu de cena por incapacidade sua, de não conseguir obter uma maioria no parlamento.

Se calhar acredita que, se o atual governo cair, já conseguirá então, ter essa maioria sem novas eleições. Ou talvez acredite que Marcelo, nessa ocasião, acreditará no milagre da consumação da esperteza de, como eles tantas vezes fizeram, não cumprir a Constituição.

Mas, quem cumpriria tudo à risca, era o senhor Mentenegra. Tudo o que ao longo dos anos se tem preocupado em expandir para fora daquela mente mesmo negra. Especialmente nas funções que exerce agora. Seria um porta voz sem mácula para o regresso ao poder, apesar de não acreditar nesse regresso. Mas sonha com ele, noite e dia, tanto a dormir como acordado.

Ou talvez acredite que, com o engulho da realidade que lhe turva a lucidez, algum dos partidos da atual maioria se transferisse para uma geringonça especial, a da direita, essa sim, constitucional, eficiente, credível e indestrutível. A garanti-lo, Marcelo mudaria para a tática utilizada por Cavaco, para com o seu fiel mas pouco amigo Coelho.