Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

16 Abr, 2015

MINORIA ABSOLUTA

 

Desde tempos imemoriais que existem amos e servos, que é como quem diz, os que mandam e os que obedecem. Se foi sempre assim, assim vai continuar a ser, pois nem pode deixar de ser, numa sociedade organizada.

Já a existência de pessoas que são ao mesmo tempo amos e servos em reciprocidade, não é coisa muito comum. Num dia o Silva manda no Coelho, no outro dia o Coelho manda no Silva. Ambos, sempre às ordens.

Para estas pessoas a vida não deve ser nada fácil. Quando falamos de cidadãos vulgares, as coisas até são normais, pois há feitios para todos os gostos. Mas, daí não vem mal ao mundo. Eles mandam só um no outro.

Agora, se isso se passasse ao nível mais elevado do estado, seria um problema de todo o tamanho. Eu imagino o que seria se Passos, ousasse mandar em Cavaco. Cavaco diria a Passos que mandasse lá em S. Bento.

Consta por aí que Cavaco está à espera do 25 de Abril para reafirmar que o país necessita de um consenso do PS com o PSD. Repito, consta. Mas também consta que Passos quer maioria absoluta, pois quer governar só.

Seria legítimo e natural querer só isso. Mas também terá garantido que não aceitará governar com o PS. Eis o problema. Ou Cavaco altera o discurso já anunciado, ou Passos, no mínimo, retira o PS do que disse.

Porque, no caso de o país e o destino oferecer a Passos uma minoria absoluta, esta coisa dos amos que tão depressa são senhores, como servos, vai deixar alguém entre dar ordens boas e receber ordens más.

É evidente que isto não será o fim do mundo. Cavaco mandará de segunda a sexta e Passos nos sábados e domingos. Coisas das suas profissões. Que nada têm a ver com Juan Pablo Escobar: A minha profissão é ser bandido.