Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

20 Set, 2015

NA BERMA DA ESTRADA

 

Começou hoje a volta a Portugal, depois de já se terem feito raides diários aos principais centros de troca de promessas por votos. Há quem tenha percorrido quilómetros de ruas a pé e há quem aí não faça calos nos pés.    

Também se pode dizer que começou hoje a grande corrida da época taurina, apesar das pegas diárias que se têm repetido nos mentideiros habituais. Começaram hoje as verdadeiras e puras largadas à portuguesa.

Tem tudo para ser uma verdadeira corrida à vara larga. Ou com o Forcão do Sabugal, onde o touro tem de marrar contra as varas. Mas não há nada que chegue às pegas. Aí é que se vê quem tem unhas para agarrar o bicho.

Pegas de caras é que já não há. Mas haverá, com certeza, muitas pegas de cernelha, onde assumem papel preponderante, os rabejadores. E não faltam por aí especialistas de encher o olho aos muitos e variados fãs.

Teremos ocasião de ver quem corta orelhas e quem corta rabos com maior mestria. Até ouviremos muitos olés. Por exemplo, quando Portas vir o rabo a fugir das pernas e tremer, ao tentar proteger o medroso Passos.

Ou quando as arruadas forem além dos cem metros, mesmo com mais polícias nas esquinas que manifestantes na rua. Há que dizer que Portas é muito mais corajoso. Ou empurra Passos para a frente, ou fica para trás.

Já ouvi dizer que Portas e Passos não estão lá muito coordenados nos discursos. Quando um deles fala, o outro vai acrescentando umas dicas, além de se repetirem. De comum, o facto de não esquecerem as mentiras.

Certamente ainda não se aperceberam de que os eleitores sabem uma regra de oiro para o dia quatro de outubro. Como todos os partidos têm as suas petas, essa regra diz que até as mentiras têm escolhas. É só escolher.

Antes de escolher, convém comparar o que dizem os pequenos e os grandes mentirosos. Os que juntam muita gente na berma da estrada. É aí que estão os que mais sentem a necessidade de escolher bem. O povo.