Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

23 Mar, 2014

NÃO A NADA

 

 

Seguro acaba de dizer que não vai dizer que sim a tudo. É mais uma daquelas tiradas em que não tira nem põe. Ao menos que tivesse dito que não ia dizer não a nada. Talvez as pessoas ficassem a perceber melhor.

Mas, já que disse o que disse, convinha que fosse um bocadinho mais claro, para que todos os que gostam de ver claridade nos outros, não ficassem a enrolar caracóis por baixo das clarividentes carecas.

Assim, é óbvio que perguntem quem é que disse sim a tudo e, principalmente, quando e em que circunstâncias deu esses, pelos visos, abundantes sins. Ficaríamos a saber para que lado está a disparar setas.

Está muito preocupado em se afirmar contra promessas eleitorais. Muito bem. Mas como tudo é considerado promessas eleitorais nestes períodos em que já só se fala em ser primeiro-ministro, vai acabar por não ir lá.

Logicamente que, se não prometer nada, fica desobrigado de fazer seja o que for. Logo, se for eleito, não tem que fazer nada para cumprir a sua obrigação. Espera-se, pois, que o seu programa seja uma folha em branco.

Por mim, tanto se me dá que a folha esteja em branco ou esborratada de tinta, mas vai custar-me ver a aflição dos outros líderes partidários, por terem um único tema para a campanha eleitoral. A folha em branco.

Portanto, encontro-me numa posição muito difícil nas próximas eleições. Por um lado, não quero votar numa folha em branco. Por outro lado, não faz qualquer sentido, votar em quem só vai falar daquela folha em branco.