Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

23 Fev, 2014

NÃO É PRECISO

 

 

‘Será preciso pedir à troika que nos diga onde cortar?’. Esta é uma pergunta demasiado inteligente de Passos Coelho, para que a maioria dos portugueses, certamente desinformados, a possam compreender.

Mas eu respondo à minha maneira, mais que desinformada, mais que ignorante, com outra pergunta, quase tão inteligente como a dele. Será que Passos Coelho alguma vez teve a coragem de pedir algo à troika?

Portanto, não será agora que vai ser preciso pedir nada. Também não será agora que vai ser preciso que o perguntado Seguro, lhe diga onde deve cortar. Se acaso lhe dissesse levaria de imediato a resposta do costume.  

A troika não precisa que lhe perguntem nada. Aliás, a troika não vem a Lisboa para receber pedidos, nem tão pouco para fazer ou responder a perguntas. A troika vem cá dar ordens, com tampões nos ouvidos.

Até aqui, Coelho não deu um único passo no sentido de tornar os cortes sensatos e equilibrados. Foi sempre de faca em riste para quem não tem defesa. É preciso, sim, é preciso muita lata para fazer aquela pergunta.

Claro que lhe dava jeito que Seguro lhe atirasse com uns tantos destinatários de mais cortes. Seria uma maneira de tentar crucificá-lo ainda mais do que o tem feito. Embora, por vezes, se tenha posto a jeito. 

Mas, é manifestamente evidente que um primeiro-ministro que está constantemente a pedir socorro à oposição para governar, só revela que não tem capacidade para o fazer, mesmo com tantos que tem ali ao lado. 

Isso podia dar-lhe uma boa ideia para enxergar onde devia cortar, sem pedir ajuda à oposição. Se os muitos que tem ao lado não lhe servem para nada, comece a cortar por aí. Vai ver que o povo começa a entendê-lo.

A melhor prenda que os portugueses podiam e mereciam ter nos quarenta anos do vinte e cinco de abril, era uma rotura completa e permanente com estes pretensiosos e falsos social-democratas.