Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

07 Jan, 2015

NÃO FALOU COMIGO

 

O doutor Ricardo Salgado falou com o Presidente da República quando sentiu que já não era o dono de nada. De nada, não é bem assim, porque ele ficou com muito escondido. Mas dono de muito menos do que teve.

Julgava eu que o presidente não podia valer a ninguém com esses problemas, sobretudo, problemas de tapar buracões de um banco daqueles. E tanto assim é que não tapou mesmo e Salgado ficou insosso.

Ora, são conhecidas as dificuldades da família presidencial, conforme descrição do próprio em devido tempo. São também conhecidas as dificuldades de todos os reformados. Então, só Salgado não as conhecia?

Até certo ponto, compreende-se. O doutor Ricardo Salgado não está reformado. Tem, sim, a obrigação, como banqueiro de topo, de saber a situação do país e dos portugueses. Para poder ajudar em lugar de pedir.

Porém, julgo eu, ele não é homem para pedir em vão. E, segundo consta, ele foi mesmo pedir qualquer coisa. Dinheiro, não, como já foi justificado. Talvez fosse cobrar qualquer coisa mas, nesse caso, não levou nada.

Nada, penso eu, pois pode ter recebido gratidão e apoio moral bem-intencionado, mas que de pouco lhe terá valido, dado o seu estado de desespero. Mas, a palavra de um presidente é um precioso bálsamo.

Mesmo que apenas pague uma pequena parte do bálsamo que constituiu a realização de um sonho de prosperidades que, afinal, nem todas se concretizaram. E quem não tem tudo, nunca pode dar muito do que tem.

Então, por que não terá ele falado comigo? Eu também sou capaz de consolar desconsolados. Mas podia ter falado com a tesoureira do país. Essa sim, poderia falar do que ele queria. Mas não to dou, diria ela.