Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

17 Fev, 2018

O carago e a porra


Rui Rio, um homem do norte, carago, e Santana Lopes, porra, um homem sulista e alfacinha, andaram às turras uma data de tempo até se encontarem este sábado no Centro de Congressos de Lisboa.

Falta agora saber se o facto de o carago ter vencido a porra, não constituirá motivo para que o PSD se transforme numa gaita. Gaita que pode ser afinadinha, pouco provável, ou um terrível instrumento de desafinação.

Causa uma certa estranheza que a direita considere um crime de lesa pátria o facto de as esquerdas se unirem para manterem a direita em fora de jogo, embora as esquerdas não barafustem contra a união nacional dos dois partidos inconformados por não poderem passar um sem o outro.

Se as esquerdas não podem ser unidas, não se percebe porque as direitas tenham de se tornar irmãs gémeas para ganhar o pote. Este fim de semana é um fartote de lamúrias e desconsolos, para além de esperanças sem fim num milagre repentino. Até o Centro de Congressos abana.

Para lá de tentativas várias para que deste congresso do PSD saia um partido unido, assiste-se a declarações de arreganho de personalidades que dominaram o governo durante os tristes anos da austeridade, insatisfeitos por verem a sua casa invadida por um 'estranho'.

Apesar de, aparentemente, só ter havido heróis para o partido e para o país nesses 'gloriosos' quatro anos, a 'limpeza' parece evidente e as pomessas do novo lider deixam muitas consciências intranquilas.

Se Rui Rio conseguir levar os seus desejos avante, muita coisa pode vir a mudar no partido e no país. Para melhor, certamente mas, como avisou o seu heróico antecessor, agora quase catedrático, depois de herói proclamado, vai ser muito difícil essa tarefa.

As dificuldades previstas, obra da geringonça, não se voltaram para dentro da sua própria casa. Já há quem prometa candidatar-se a líder e já há quem se ponha de fora, enquanto durar o reinado do homem do norte.

Pelo vistos, o país pode esperar, apesar dos muitos cânticos de louvor à nova era que se inicia agora. Mas, enquanto não houver tachos para satisfazer a fome de poder e a sede do pote, os insatisfeitos continuarão a deixar escapar sorrateiramente: Isto é uma porra!...