Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

09 Fev, 2015

O CREMATÓRIO

Não me surpreenderia se, de um momento para o outro, desaparecessem os dois submarinos comprados à Alemanha. Tem desaparecido tanta coisa que com eles se relaciona, que se torna necessário guardá-los muito bem.

Principalmente, é preciso que Portas não perca de vista as viagens que Ana Gomes faz a Lisboa, vinda de Bruxelas. Ela é bem capaz de, por artes mágicas à estatura de Portas, fazer desaparecer misteriosamente os ditos.

É sabido que Portas faz desaparecer documentos com uma limpeza que espanta. Só Ana Gomes se não espanta com essa proeza. Talvez porque ela seja capaz de subtrair ao mar, os dois submarinos das faturas falsas.

Ana Gomes sabe que só encerra a polémica desta portaria, se fizer desaparecer os submarinos, do mesmo modo que desapareceram os papéis que eles geraram. Ora isso não é fácil, pois só vê Portas fechadas.

Ana não desiste de encontrar uma saída e Portas não se cansa de reforçar a entrada à bisbilhotice. Se for necessário, fará o mesmo que o presidente. Dirá que tudo isso é sigiloso e ponto final. Não se fala. Não se discute.  

Se ainda assim houver necessidade, Portas culpará o seu Citius pelos desaparecimentos. Ou arranjará maneira de culpar um presidiário por tão misteriosos roubos. Ele sabe a dor sofrida pelos danos que lhe imputam.

Vai já dar ordens para que o seu gabinete seja dotado de um crematório sem fumos, a fim de queimar tudo o que cheire a mar. Sabe que corre o risco de lhe cheirarem tudo em busca de vestígios de algas, ou de algo.

Segundo consta já se está a criar o hábito de escutar conversações atrás de Portas. Só não sei como é que Ana Gomes as ouve em Bruxelas. Mas devem chegar lá deturpadas. Ou só chegam lá as cinzas do crematório.

Dado que Portas está coligado com Passos, seria natural que partilhassem o crematório, pois ambos têm o mesmo problema. Há coisas que só o fogo pode evitar que, mais tarde ou mais cedo, venham para a praça pública.

Acabo de saber que aquela petição das dez mil assinaturas sobre os submarinos, à terceira ou à quarta entrega, chegou finalmente à AR. Até as petições desaparecem. Chiça! E para essas nem sequer há crematório.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.