Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

Pedro Coelho apresentou a sua candidatura a presidente do seu partido. Como é o único concorrente, o lugar está garantido. E ele bem o merece, que mais não seja pelo contorcionismo que exibe a cada dia que passa.

Depois de dizer que o seu regresso ao cargo de primeiro-ministro dependia da atitude de Marcelo Rebelo de Sousa logo que iniciasse o seu mandato, diz a seguir que, se Costa singrar, aconselha voto na esquerda.

Temos assim que Pedro, o Coelho, depois de se mostrar um guerreiro inconformado, admite fazer aquilo que nem o mais pacífico dirigente partidário alguma vez fez. Aconselhar aos votantes a sua própria derrota.

Vamos ter assim, por louvável e benevolente iniciativa de um ex-primeiro-ministro singular, a grande oportunidade de ver o país pacificado, depois de tantas guerras estéreis, de tantos caprichos inúteis e falso palavreado.

Obviamente que da parte do deputado Pedro Coelho nunca se sabe o que vai dizer e fazer nas vinte e quatro horas do dia, noite incluída. Ele espera que Marcelo seja como ele. Porém, nem um catavento desceria tão baixo.

Teria muito mais lógica que, em lugar de se recandidatar, seguisse o exemplo da sua ex-ministra das Finanças. A empresa compensadora, certamente que, pelo mesmo motivo, o receberia de braços bem abertos.

Obviamente que há sempre muitas oportunidades para dar o fora, quando as coisas não correm de feição. Acontece assim com todos os grandes e incorrigíveis mentirosos, que vendem a alma ao diabo. O preço compensa.