Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

29 Jul, 2015

O GOVERNO QUER...

 

Sim, o governo quer tanta coisa que os cidadãos não querem, que já nem adianta falar nisso. Aliás, aquilo que o governo mais quer, não diz que o quer. Quando a gente dá por isso, já o tem em cima. Sem tempo para piar.

Parece que há quem esteja convencido de que se pode sair deste sufoco. Será convicção de morto. Mas, na verdade há mortos que estão bem vivos e há vivos que já estão mortos há muito tempo. Alguns, de nascença.

Sobretudo porque a língua de certa espécie de gente, é como a língua de peixe. Só serve para lhe acelerar o fim. Porque os anzóis são traiçoeiros. Na língua, no beiço e até nos dedos, se não se tiver cuidado com eles.

Subitamente, as bocas e as línguas passaram para a ordem do dia. As bocas, de um modo geral são foleiras. São piadas de caserna de lateiros, para recruta engolir. Podiam ter já evoluído para a moderna marmita.

Depois, aquilo que o governo na verdade não quer, diz que o quer. É o caso de querer impor o uso de bicicleta e partilha de carros na função pública. Brincamos? A bicicleta é para quem, e as boleias são de quem?

Sempre ouvi dizer que os bons exemplos devem vir de cima. Ofereço-me desde já para dar e receber boleias de governantes. Mas aviso que o meu carro não é como o deles. Mas garanto que anda sempre muito limpinho.

No entanto, tenho algum receio em entrar nesse jogo. Posso ser confundido, involuntariamente, como sendo um desses ricos que agora são descobertos por investigação a olho. A minha riqueza não é dessas.

Pior ainda, era que me julgassem ministro. Do passado. E então estava mesmo lixado. Não escapava a ser logo arrecadado. Com os do presente não corria esse perigo. É para isso que eles usam a bandeirinha na lapela.

Quanto a isso, atrevo-me a lançar mais uma das minhas ideias lixadas. Essas bandeirinhas deviam ser obrigatórias para todos aqueles que são tão patriotas como eles. As condecorações não chegam a todos: bandeirinhas.

Aposto que o governo quer estar de acordo comigo. E, com a minha quase certeza, até quer estender a bandeirinha à lapela de todos os portugueses. Mas há aqui um ínfimo pormenor. Talvez alguns não a queiram usar.