Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

20 Dez, 2014

O GRANDE PROBLEMA

 

O país está a viver um dos períodos mais complexos, senão mesmo o mais complexo, da sua história. Tem um super juiz que é o homem mais poderoso cá do burgo. E tem na cadeia o homem mais importante do país.

O homem mais poderoso, mete na cadeia quem ele entende que deve lá estar. Ou o poder não servisse para alguma coisa. O homem mais importante, é aquele que não sai da comunicação social um só momento.

Isto não teria nada de especial, não fosse a grande diferença entre estes dois colossos, de um país que é, ou foi, também ele, um colosso a dar lições de como se conquista a liberdade, depois de tantos anos sem ela.

E a diferença entre eles, está bem patente nesta coisa simples demais. O homem mais poderoso pode prender o homem mais importante, enquanto o homem mais importante não pode prender o mais poderoso.

Mas isto não devia caber na cabeça de ninguém. Ou há democracia, ou não há. E em democracia os direitos são iguais. Ou não são? Ora não é isso que o país está a ver. Justo seria que se pudessem prender um ao outro.

A continuar esta desigualdade incompreendida, qualquer dia ainda vamos assistir a que, cada um deles, prenda os amigos do outro. Pagava bem para ver o país reduzido a estes dois. Se eu ficasse de fora para ver, claro.

Melhor ainda, se eu ficasse a mandar nos dois. Ah, aí a conversa seria outra. Eu seria astro e dono da TV e dos jornais e prendia quem eu quisesse. Obviamente, também abafava os milhões de que tanto se fala.

Deixando para trás a parvoeira, direi que tudo isto não é uma vergonha. É uma vergonheira. Em qualquer país democrático do mundo, nunca devia haver o mais poderoso, nem o mais importante, nem donos disto tudo.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.