Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

28 Jun, 2014

O PERNIL E A ORELHA

 

 

Com a seleção nacional viajou para o Brasil um carregamento de mantimentos que devia durar até ao último dia do mundial. Afinal, a comitiva já chegou esta madrugada e o mundial está para durar.

Ouvi dizer que o avião chegou atrasado a Lisboa. Logo me lembrei que a bagagem deve ter contribuído para esse atraso. Os mantimentos não consumidos pesam e o avião vem mais devagar.

O chefe Élio deve ter dificuldade em conservar o bacalhau, o pernil e a orelha, até à próxima viagem. Que corre o risco de a comitiva integrar muitos elementos novos que prefiram enlatados baratos.

Talvez o chefe até tenha exagerado nas feijoadas logo de início. Daí uma certa sonolência geral para quem tem digestões mais difíceis. Que, ao que parece, era toda a comitiva. Agora, há que fazer dieta.

Na ida para o Brasil, a seleção chegou, viu e perdeu. Coisas normais. A bola é redonda. Esta madrugada, a seleção chegou, viu e foi continuar a dormir, como fez no Brasil e no avião do regresso.

Depois de refletir maduramente sobre tais acontecimentos, concluo que houve falta de pernil durante os jogos e falta de orelha antes deles. Logo, a feijoada devia ter feijão a mais e conduto a menos.    

Mas, de cabeça baixa de mais, há que levantá-la como eles dizem. E isso vai acontecer. O PM já os felicitou pelo esforço desenvolvido. Entretanto, não tardará que seja marcada a receção em Belém.

Portanto, todos os componentes da comitiva ‘mundialista’, têm garantido todo o apoio. Ninguém vai ser despedido, ninguém vai ser demitido, nem ninguém vai mudar de vida. E a seleção vai continuar.

Agora, a principal tarefa da Federação é não deixar que os mantimentos que não houve tempo de comer não acabem estragados no lixo. Seria uma pena, tanto bacalhau e tão caro.

 

 

 

1 comentário

Comentar post