Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

11 Jan, 2015

ONTEM E HOJE

 

‘Se não podes vencê-los, junta-te a eles’. É uma tática entre muitas outras. Deixando de fora a tática de rendição, ou mesmo de cobardia, pode até considerar-se um ato de aceitação de que valores mais altos se levantam.

Quando se é vencido na luta por uma boa causa, por quem lutou e ganhou em defesa de uma menos boa, quem aceita juntar-se a ela e desiste da sua, não tem como justificar a mudança de campo. Só os fracos o fazem.

O facto de esses fracos terem sido aparentemente fortes durante muitos anos, não lhes garante que continuem a sê-lo, ao abdicar das suas causas, se elas forem justas. Com razão, os fortes vão até ao fim do mundo.

E, se não forem, fica provado que, afinal, não foram assim tão fortes como pareceu, no tempo em que dominaram os seus adversários e mostraram a sua força ilusória. Há muitas maneiras de mostrar força sem a ter.

Mudando agora de cenário. Do mesmo modo que a força, há muitas maneiras de esconder o medo. Uma delas é gritar exaustivamente que se não tem medo. Para mostrar força a quem o mete. Com toda a convicção.

Na realidade, isso não assusta nem afasta terroristas. Com esses métodos de os pretender intimidar, podem eles bem. Nem os grandes, nem os pequenos líderes de países e do mundo, conseguiram já assentar ideias.

Têm de convencer-se de que há outros terrorismos e outros terroristas de muitas espécies que, embora de forma menos cruel, contribuem para que seja evidente o crescimento gradual da extrema violência que mata.

E esse crescimento, tem a ver com o crescimento, também ele gradual, da formação de extratos sociais votados à miséria, quando não à morte. Desse terrorismo e desses terroristas pouco se fala. Nem se condena.

De há muitos anos para cá que os sinais são bem evidentes de que a escalada do terrorismo violento é factual. Com ele, também tem aumentado, e muito, o terrorismo verbal dos políticos e dos poderes.

Que nada tem a ver com liberdade de expressão. Mas tem muito a ver com o modo como muitos líderes poderosos vão caindo, após grandes abusos de toda a ordem. Mas, infelizmente, outros vão aparecendo.