Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

14 Dez, 2014

ORÁCULOS

 

Portugal é um país religioso. Já foi mais, mas ainda o é quanto baste. Daí que não surpreenda que os oráculos se multipliquem, embora em razão inversa dos fieis. Aqueles são cada vez mais, estes vão perdendo a fé.

Porém, a minha intenção é transpor esta realidade para a política e para os políticos. Temos muitos e diversificados oráculos, locais onde essa ciência milagrosa é apregoada por fiéis oráculos da verdade.

Se os locais são milhentos, os pregadores são milhões. Uns e outros, oráculos, que se aproximam muito da divindade e da consequente perfeição. Fisicamente, os locais são o esplendor. Os pregadores são a luz.

Basta dar uma volta pelas televisões e eles lá estão. Já não sei se são eles que preveem o futuro do país, se são eles que ditam esse mesmo futuro, aos incapazes decisores. Há oráculos dos mais baixinhos aos mais altinhos.

Mas, uma voltinha pelos jornais dá-nos o mesmo panorama. Havia a ideia de que tínhamos os sérios e os pasquins, ou tabloides. Hoje, esse juízo está muito longe da verdade, pois em todos, há jornalistas e jornaleiros.

Mas, voltando aos oráculos, tenho de fazer publicamente um mea-culpa. Andei eu anos e anos a pensar que o segredo de justiça andava a ser violado. Nada disso. O que anda a ser violado é outro segredo diferente.

É o segredo das investigações de jornaleiros e jornaleiras dos jornais. Que, ao sabor da onda, são matéria de trabalho de alguns inspetores. Que regressa aos jornais. Logo, o segredo da justiça está bem, guardado.

Mas, como já referi, os oráculos são milhões. Tal como as verdades que eles pretendem difundir. Esses, andam nos comentários anónimos onde possam meter a língua. E até se insultam porcamente uns aos outros.

Isto, claro, são oráculos de estrumeira. Do lado oposto, e oráculos de refinada categoria, vamos encontrá-los, um na SIC aos sábados à noite e outro aos domingos na TVI, também à noite. Os outros ajudam à missa.