Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

28 Out, 2014

ORGULHOSOS

 

Quando alguém se diz muito orgulhoso pelo trabalho que fez, fico logo de pé atrás. Se o próprio o diz, é porque ainda ninguém mais o disse. E diz o povo com imensa, mas modesta sabedoria, coisa gabada é coisa borrada.

Durão está muito orgulhoso pelos seus deliciosos dez anos de Europa. Os europeus não estão nada orgulhosos por dez anos perdidos no meio de conversas balofas, asneiras de bradar aos céus e atitudes de capataz.

Por tudo isso, Durão não conseguiu permanecer nesse meio após o fim do mandato, o que normalmente acontece a quem por lá anda tanto tempo. Bem se fez ao piso, mas não surgiu uma voz sequer a chamá-lo para si.

Se houver alguma razão para estar orgulhoso, e há com certeza, são os onze mil euros mensais que ficam certinhos até ao fim dos seus dias. Que sejam muitos e bons. Ainda há gente com sorte. E orgulho também.

Também Passos e Portas estão muito orgulhosos das borradas que têm feito ao país e aos portugueses. Mas gabam-se como o não fariam os modestos heróis de grandes feitos. Julgam fazer história. Triste, talvez.

Porque triste é criar um banco depois de já ter vendido um, a pataco e preparar-se para fazer o mesmo a outro. Muito triste é fazer grandes digressões, com grandes e muitos empresários, a vender o país a retalho.

E gabarem-se de que há muitos e bons interessados em comprar o que não é bom para os nossos empresários. Nem para o estado. Portugal vai ser um paraíso para patrões estrangeiros, rodeados de servos nacionais.

Tudo com muito orgulho e com muitos orgulhosos. No entanto, ficaremos ainda um pouquinho mais orgulhosos por nos restar uma Maria e um Aníbal, que alguém considerou um casal malandro. Deve ser malandrice.