Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

12 Fev, 2014

OS EX-JOTA-BANDOS

 

 

Há coisas que dão que pensar a muita gente, dada a clareza crescente com que elas vão surgindo no dia-a-dia, sob a influência de uma geração em que os ex-jota-bandos, vão tomando as rédeas da atualidade política.  

É o caso dos líderes dos dois maiores partidos, um deles, hoje, primeiro-ministro. Não falando na sua evidente impreparação para as exigências que o país reclama, ambos estão rodeados de um vazio enorme de ideias.

Trata-se de uma geração que passou a época em que devia ter estudado, a percorrer o país a fazer comícios e reuniões, rodagem necessária para ir conquistando apoiantes que os levassem às elites dos partidos.

No meio desse vazio de competência, ainda hoje o que os mantem nos lugares, são as constantes viagens às clientelas fora de Lisboa, para não serem ignorados, como são já, muitas vezes, nas suas sedes nacionais.  

Do líder do PS não vale a pena dizer mais nada. Quanto ao líder do PSD e do governo, já se tornou recorrente que há dois verbos que ele conjuga na perfeição: calar e esconder. Depois, mandar calar e mandar esconder.

Querem mandar calar o Sócrates na RTP porque não conseguem desmontar ‘as suas mentiras’. Mas não mandam calar os seus, vários, propagandistas que, nem têm defeitos, nem são capazes de mentir.

O governo, pelo ministro Miguel Macedo, esconde o relatório da IGAI sobre a manifestação dos polícias nas escadas da AR. Diz-se que tem medo dos polícias. Seria mais lógico que os polícias tivessem medo do ministro.

Segundo o que já vi escrito hoje, o PSD já perdeu quarenta por cento dos militantes ativos e ainda, que o partido está a afastar-se da matriz social-democrata. É evidente que há muito tempo não justifica o nome que tem.

‘Estamos hoje a viver mais de acordo com as possibilidades do país’. Ao dizer isto, esta coisa, Passos não está a calar-se, nem a esconder nada. Está, simplesmente, a revelar-se. Parece que nem se dá conta do que diz.

Mas há outra coisa que o ex-jota-bando pratica na perfeição. Com aquela visibilidade e vivacidade que nos dão uma sensação de segurança e proteção para garantia da nossa paz de espírito. É a sua forte arrogância.