Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

O Pós e Contas de ontem foi, afinal, uma tremenda desilusão. Não havia razão nenhuma para se pensar que Paulo Dentuça estava a tramar mais uma malandrice ao atual super herói desta velha comunicação anti social.

E, como não podia deixar de ser, com a prestimosa colaboração da super apresentadora do ‘porgama’, inspirado nas super ideias de outro Paulo, o Rangélido, que o PS logo considerou uma oportuna tramoia pró coligação.  

Curiosamente, faltou muita gente que era suposto serem as estrelas do espetáculo, principalmente, do lado dos Pós. Razão para que o principal, ou, verdadeiramente, o único desse lado, fosse Otário Carteiro da Manha.

Bem se esforçou para compensar a falta dos pares. Apesar de nunca ter conhecido a Joaninha, bastou-lhe ter sido muito próximo do pai, para lhes deixar rasgados elogios. Um Otário carteiro e manhoso a tentar dar cartas.

Mas, para ganhar nos jogos de cartas é essencial ter bons parceiros que joguem os seus trunfos nas puxadas dos adversários. Ora, o Otário Carteiro, mesmo julgando-se o ás de trunfo, foi apenas um manhoso.

Pareceu-me ter ficado bem claro que os ‘joaninhos’ não têm a simpatia geral pelas suas ‘joanices’. A começar pelo modo como chegaram aos céus onde tão mal batem as suas asinhas. A ausência deles dali foi prova disso.  

Daí que o Pós e Contas de ontem se tenha transformado no ‘porgama’ dos Contas. O PS tem pois muitas razões para pensar que saiu o tiro pela culatra àqueles que haviam engendrado mais uma das suas manhosices.

Logo, em lugar de exigir o afastamento do Paulo Dentuça, devia antes compensá-lo com uma condecoração a condizer com o resultado contrário de tanto trabalho em vão. Obviamente, extensível à douta apresentadora.

Já quanto ao alvo estratégico do consumido Rangélido, mais uma vez, depois do tal debate, deve ter-se fartado de rir, não sei se só, se com os habituais e fixes compinchas que o têm acompanhado à volta da mesa.