Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

30 Mar, 2014

PAPÁ DURÃO

 

 

Julgo que durão quer dizer muito duro, embora não possa excluir a hipótese de haver um ou outro durão que sai da regra para ser a exceção. Portanto, contra natura, poderá haver um durão, mesmo muito mole.

De um modo geral, ser mole, pode até nem ser um problema. Depende do tipo de moleza. Homem durão por fora, pode ter um coração molinho lá dentro. Mulher durona por dentro, pode ser muito molinha por fora. 

Conheço um durão para o qual a sabedoria popular não encontraria melhor que dizer que ele é um banana. Ora, banana, não é dura. É mole. Brincando com as palavras, é giro dizer, banana é durão. Não soa bem.

Esse durão que eu conheço, deu agora em querer amolecer o coração dos portugueses, depois de tanto lhes ter amolecido o juízo. Que é como quem diz, depois de lhes ter feito o juízo em água. Assim mesmo.

No início, foi desejado como o papá dos portugueses, ou o padrasto que os portugueses receavam, consoante o maior ou menor conhecimento que tinham dele. Depois, nem papá, nem padrasto. Um zero à esquerda.

Agora, surgiu como o expoente máximo de um verdadeiro durão, para aqueles com quem bebia uns copos, e um feliz embriagado, para aqueles com quem sonha vir a manter a felicidade de borracheiras passadas.

O durão que eu conheço é um embriagado permanente com a felicidade que tem inundado a sua vida. Uma vida que caiu do céu aos trambolhões, depois de se ter livrado de um inferno que chamuscava a sua sobriedade. 

E isso transporta-o ao mundo dos sonhos onde encontra a sua perfeição e, de caminho, as imperfeições dos outros. Conviveu bem com quem o fez perfeito, tentando destruí-los agora, para se colar aos amores-perfeitos.

Sair do inferno para o céu e, depois de ter estragado o seu próprio céu, ter como única meta possível, o regresso ao inferno de antigamente, não é mais que querer alcançar uma embriaguez que o mantenha de pé.