Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

10 Dez, 2014

PAREM LÁ COM ISSO

 

Constou-me que os deputados estiveram a trabalhar dezassete horas seguidas no dia de ontem. Mas isso é desumano. Tratem lá de resolver o problema, antes que alguém fique irremediavelmente doente.

Além disso, ou estão a receber um balúrdio em extras, ou trabalham de borla, o que é péssimo. Como não conheço o regimento da AR, o que é imperdoável, estou muito preocupado com qualquer das hipóteses.

A hora de serviço extraordinário para a função pública está tão baixa que não vale a pena fazê-las. Há desempregados a dar com um pau. Não há dúvida de que vale a pena contratar deputados a recibos verdes.

Assim, a AR passaria a funcionar em dois turnos de doze horas cada um, o que já era bem melhor que dezassete. Com a vantagem de baixar a taxa de desemprego e melhorar substancialmente as condições de trabalho.

Além disso, e muito importante, não prejudicaria os deputados que têm outras ocupações por fora, pois já sabiam que tinham doze horas livres por dia. Sistema que permitia audições de vinte e quatro horas seguidas.

E mais. Acabavam-se as bocas foleiras de certos ignorantes, no que toca à redução para metade do número atual de deputados. Quando muito, poderiam reivindicar que os atuais, se dividissem pelos dois turnos.  

É evidente que haveria alguns inconvenientes. Mas todos eles de pequena monta. A conta da eletricidade subiria um bocado, mas a EDP é amiga. O restaurante tinha de ter horário permanente, mas o consumo aumentava.

Como estas ideias ainda estão muito em bruto, prometo que vou fazer contas, usando o mesmo sistema que a ministra das Finanças. Até porque há mais dados a ter em conta. E, os incontornáveis cortes, obviamente.