Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

14 Mar, 2014

PENTA PRESIDENTE

 

 

A nossa democracia tem cinco pilares fundamentais para o equilíbrio político das decisões que vão regular os comportamentos dos cidadãos e das suas organizações e corporações. Cinco pilares, cinco presidentes.

Pelo que vamos vendo ao longo do tempo, há presidentes e presidentes. Há presidentes que tomam decisões e presidentes que deixam isso para os outros. Principalmente, quando as decisões queimam presidentes.

Depois, há presidências que são ocupadas pela mesma pessoa, quer através de mandato efetivo, quer através de sobreposição de funções em mais que uma presidência, apesar de ocupadas por pessoas diferentes.

Há presidentes que têm uma apetência especial para abafar outros presidentes, pressupondo que, mesmo entre presidentes, tem de haver quem manda mais e quem manda menos. Ou não manda mesmo nada.

Este conceito levado ao extremo explica a existência de ditaduras. Mário Soares disse há dias que o país caminha para uma ditadura. Só não previu ainda quem será o ditador. Mas, eu já comecei a deitar as minhas cartas.

Coelho é presidente do partido dele e é presidente do governo, vulgo, primeiro-ministro. Há sinais, ainda muito ténues, de como algo vai evoluir nesta democracia. Já se viu na AR, como a presidente lida com o PM.

Tenho a sensação de que três presidências já cantam de Coelho. Mas, também é visível como Coelho se bate há muito tempo à presidência do Tribunal Constitucional, para fugir às ‘tropelias’ que dali têm vindo.

Obviamente que haverá sempre uma maneira de o contornar, nem que para isso, Coelho tenha de assumir mais essa presidência. Mesmo sem mandar embora o titular. Basta que ele se comprometa. Ou se distraia.   

Agora, ficamos a saber que o veto do PR se pode facilmente ultrapassar, mesmo dentro da legalidade e sem criar rancor de espécie alguma, colocando a AR de ponta de lança. Tudo isto, dentro da democracia.

O doutor Mário Soares está completamente enganado quanto a ditaduras. Pedro Passos Coelho pode ser presidente de tudo, mas nunca será um ditador. Podemos é ter um Coelho democrático a orientar os presidentes.