Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

23 Mai, 2014

PERDÃO!... CHEGA.

 

 

Estou em período de nojo. Hoje tentei ver mais televisão do que é costume. Azar o meu, pois tive duas grandes deceções logo no início da minha ronda pelos diversos canais. E fiquei mesmo enjoado.

Em primeiro lugar porque só encontrei espanhóis, autocarros espanhóis, comboios espanhóis, aviões espanhóis, hotéis e ruas cheios de espanhóis. Até tenho admiração por espanholas, mas …

Em segundo lugar, só encontrei Sócrates. Isto quando as televisões mudavam de agulha, dos espanhóis para aqueles portugueses que se desunham para dar o fora com rendimento máximo garantido.

Ele há cada um… A gente olha para a cara deles e alguns metem medo. Sobretudo, há os que metem medo a eles próprios com os seus esgares, com os seus medos próprios, dos seus ‘inimigos’.  

Mas também há alguns que metem medo com a sua argumentaria, para ver se o pagode vai no engodo e, a tremer, lhe entrega o voto. E eu a ver tudo isto, como se fosse um pacóvio que acredita em tudo.

Não tardou que agredisse violentamente com um murro, a mesa onde me encontrava. E, mentalmente, para não assustar ninguém lá em casa, soltei um impropério de se lhe tirar o chapéu.

Só não atirei com o comando ao televisor porque tive um momento de alguma lucidez, ao lembrar-me que entrava em despesas. E lá me veio ao pensamento aquela coisa que nos esfola, a chamada crise.

Mas, zarpei dali para sítio mais seguro. Isto é demais para mim. Às vezes chego a pensar que talvez fosse melhor para mim, acreditar mais no que oiço. Por exemplo, num mentiroso a falar verdade.