Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

10 Mar, 2015

POBRE RTP

 

Sinceramente, não consigo perceber como é que a nossa televisão pública consegue imitar na perfeição, as televisões privadas, em tudo o que toca a sarna, mas não é capaz de imitar os bons programas de arregalar o olho.

Até porque, segundo julgo, isso se deve a um maduro, suponho que de Poiares, por quem tenho a maior das minhas considerações. Um homem culto, à italiana, onde sempre houve gajas boas. Como nos bons filmes.

Então, porque não faz como a TVI, com aquela mulherada toda nas casas? Ao menos dava para esquecer aquelas chachadas de Preços Errados e Prós e Prós, em que se recebem prendas a mais e se chamam contras aos prós.

Isto são dois programas de se lhe tirar o chapéu. Instrutivos à brava. Mas, julgo que o Fernando dava um bom pró e o Miguel um bom contra. Já a Fátima, mais cultural, sabia como levar o Preço Certo até à política.           

Há anos que os fiéis da TV pública andam a ouvir esses programas, sempre iguais, sempre na mesma, e ainda não aprenderam nada. É verdade que um tem as ‘miúdas do Mendes’ e o outro tem o manejo sábio da Fátima.

Mas não chega. Nem nada que se compare à ‘lábia’ da Teresa nas conversas com os inquilinos da casa. Aquilo, sim, transfere o calor e a frescura de lá, para os telespectadores que até vão para a cama sem sono.

Depois, a mim faz-me pena ver a Sónia e o Jorge Gabriel naquela estúpida concorrência do, liga, liga. Eles que se davam tão bem com os programas do Porto. Agora andam perdidos por palcos ao ar livre. Ao frio e ao calor.  

É claro que não está certo. Perdeu-se uma virtuosa a dançar e um especialista em bem falar. Agora, só têm que saber um número telefónico e estar uma tarde inteira a dizer, liga-o, liga-o, por causa disto e daquilo.

Até parece que a RTP morreu e os portugueses nem foram convidados para ir ao funeral. Mas estão obrigados a pagá-lo. E ainda se sentem na obrigação de rezar todos os dias para que ela vá para o céu. Coitadinha!