Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

26 Dez, 2016

Prendas


Há uma evidente frustração nas camadas pretensamente mais conhecedoras e esclarecidas do país, só porque se passou este Natal de todas as esperanças, sem que nos sapatões desses sábios aparecesse a tão desejada prenda da queda fatal dessa coisa a que generosamente chamaram de geringonça.

Esses gorduchos e anafados portugueses têm como referências as duas maiores e melhores prendas que podiam salvar-nos das misérias e desgraças que nos abrasaram desde o início do corrente ano. Nada mais, nada menos que o ainda líder do PSD e a agora líder do CDS.

Mas que prendas! Dois autênticos desejados que, com tanta pena e arrependimento, o nosso infeliz povinho deixou cair na triste condição de nada poderem fazer para que Costa e companhia fossem dar uma volta até uma qualquer parte incerta. Com viagem sem qualquer possibilidade de regresso.

O país não merecia tão pesado castigo dos deuses desconhecidos. Junto dos quais nem sequer há a possibilidade de uma reclamação. Mesmo sendo ela justíssima e mais que fundamentada. Como o comprova o facto de Costa e companhia estarem a destroçar, com laivos de selvajaria, tudo o que foi concebido e abençoado nos fecundos quatro anos de salvação nacional.

Obviamente que esta terrível coisa que está a acontecer no presente, vai ter como consequência o brutal e mais que merecido castigo pelas maldades, sem qualificação, infligidas aos infelizes desprotegidos cidadãos que estão a sentir na pele esta desastrada e maldosa mudança que os atingiu.

O dia das habituais prendas natalícias já lá vai. E quanto às prendas mais que desejadas, nada feito. Ficam, no entanto, a cumprir as suas palavrosas e animadoras missões, as mais belas prendas que o país mais precisa: um coelho esfolado e umas arrebitadas cristas de galinha choca.