Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

A Europa já está toda à espera do Syriza. Não com bombos e fanfarras, mas simplesmente para ver se aquilo que se diz é verdade. E o que se diz, é exatamente o que muitos receiam. Que pode vir a estragar vidinhas.

De qualquer forma, na próxima segunda-feira, o senhor Tsipras vai receber muitas felicitações, de muitos dos que andaram acagaçados durante tempos infindos, por causa das ameaças que ele tem constituído.

Já estou mesmo a ver que os de cá, serão os primeiros. E prometerão franca e leal cooperação, especialmente nas relações de proximidade na UE. Com a garantia de que nunca duvidaram de que a sua vinda era certa.

Provavelmente, até lhe agradecerão o contributo que ele deu no sentido de abrir os olhos aos governos que andaram tanto tempo com eles fechados. Os que já davam a Grécia fora do euro, devem arrepelar-se.

Mas, o Syriza ainda não ganhou e o senhor Tsipras ainda não foi para o governo. Logo, tudo isto é conversa da treta, pois o senhor Samaras ainda não caiu. A esta hora, ainda há muita gente a rezar por um milagre.

Em Portugal, que não é Grécia, evidentemente, não me admiraria muito, se alguém já tivesse encomendado uma missa de ação de graças. Alguém, até, que já tem escrito o texto de segunda-feira. Falta só clicar em enviar.

Dizem que a Grécia é a mãe da democracia. Não sei se é, ou se já foi. Se calhar, já foi, mas já não é. Cá para mim, o que mais há por esse mundo fora, são democracias órfãs. Não precisamos pedir desenhos a ninguém.

Porém, não é difícil perceber que os gregos não se deixam cair em molezas, venham elas de conversinhas meigas, ou de ameaças duras. Gregos são gregos mas, na verdade, quem fica grego, é uma certa europa.

Portugal não é Grécia, nem nunca foi. Nem nunca o virá a ser, pelo menos, na determinação do que quer e da noção de que não deve abdicar dos direitos que lhe querem retirar. Mesmo tendo já sido espoliada de muitos.

Somos um povo corajoso e já o demonstramos em muitas e difíceis ocasiões. Mas, também já demonstramos que temos períodos em que a moleza toma conta de nós. Mas, quando acordamos ninguém nos segura.