Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

afonsonunes

afonsonunes

 

Estou muito esperançado no futuro do país. E não é por causa de uma confiança excessiva na ação do novo governo. As minhas esperanças baseiam-se na visível boa disposição da oposição. Pelo contrário, vejo um governo preocupado, o que é bom.

Pois bem, eu explico o meu estado de espírito, pois não é difícil adivinhar a reação de alguns. Se vejo Passos Coelho a rir com aquele ar de satisfação, penso que isso será o melhor indício de que está agora mais feliz do que quando era primeiro-ministro.

Quando passo o olhar pelos jornais, vejo fotografias de caras bem conhecidas de ex-governantes, dirigentes do PSD e seus ilustres apoiantes, genericamente com largos sorrisos, muito a condizer com o habitual sentido das suas palavras de auto elogios.

Pelo contrário, vejo fotografias de atuais governantes e dirigentes socialistas, quase sempre com ar sisudo, parecendo preocupados com o que lhes dizem os seus opositores. Tenho a sensação de que Costa tem medo de Passos e mais de Cavaco.

Hoje, por exemplo, no debate na AR, Costa e César, quase se esconderam debaixo das mesas, tal o medo que lhes meteram, o silêncio e o riso de Portas, Passos, que se fartou de rir com o seu companheiro Montenegro, e o susto do duro sócio de Cristas.

Assim é que é. Durões que se farta. Os portugueses não riem destes valentões, mas também não choram com pena de Costa e dos seus acabrunhados acompanhantes. Talvez porque dentro de poucos dias saibam já que se vão fartar de rir com o seu ídolo.

Esse sim, não ri de vez em quando. Esse ri sempre e para toda a gente. Porquê? Porque sim. Por mim, acho que esse jeito lhe ficou de tanto se rir para as câmaras e para quem tinha na sua frente. Há jeitos que ficam. Mesmo depois do próximo dia vinte e quatro.   

No entanto, os muitos e rasgados risos na AR, não correspondem ao ambiente que têm à sua retaguarda. Aí a coisa mudou completamente. São os menos risonhos que se sentem dominadores de uns tantos e tantas que perderam os seus loucos histerismos.

Passos está agora melhor acompanhado com Montenegro ao lado, do que quando estava travado pelo riso constante de Portas. Portas está agora muito mais cómodo, pois já não tem de pensar nas frases bonitas que lhe valiam longos aplausos delirantes.

Mas, há uma grande novidade. E essa vem da bancada do CDS. Nuno Magalhães quis mostrar que fala como Nuno Melo e que não quer que se esqueça o ciclo piadético de Portas. E lá tentou mostrar o rumo a Assunção Cristas, ainda no banco dos suplentes.

1 comentário

Comentar post