Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

23 Jun, 2014

SALDOS

 

 

Neste início de verão as promoções e pechinchas são mais que muitas. Desde logo, neste governo que, de tão unido, respeitado, aplaudido e desejado, gera um volume de negócios insuperável.

Daí que qualquer fervoroso e indefetível fã, pode ver um primeiro-ministro sorridente a vender cortes em saldo, e um vice esforçado vendendo a imagem de um cirurgião a estancar o sangue dos cortes.

Nesta feira de créditos, onde os débitos são uma miragem, onde tudo sobra e nada falta, a verdadeiros preços de saldo, só as oposições vivem mal, porque não se deixam cortar à vontade de quem corta.

Mas, já que até os cortes estão em saldo, Seguro resolveu cortar em Costa, como se já fosse primeiro-ministro. Se calhar até julga que já o é. Ou então está em estágio pré pago para vir a sê-lo a sério.

Porém, tem o azar de encontrar um Costa a ensaiar uma experiência inédita de cortar e suturar ao mesmo tempo. Quer cortar em Passos, Portas e Seguro, enquanto sutura os cortes que afligem o povo.

Não se pode dizer que será uma coisa fácil, já que há uma grande simpatia entre companheiros e certos camaradas. Para lá dos que se dizem independentes, mas ajudam a cortar sempre nos mesmos.

Daí que ande muita gente assustada com tamanha desunião e falta de entendimento entre Costa e Seguro. Por mim, só tenho medo que esses males se estendam ao universo unido de apoio ao governo.

Onde todos os apoiantes estão abraçados. E onde só a união reinante permite comprar tudo ao desbarato. São os saldos entre eles. E lá vão bem juntinhos às compras, mesmo quando as feiras estão fechadas.

PS:Oferece-se um jogador da seleção a quem apoiar o governo.