Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

08 Nov, 2014

SÓCRATES E COSTA

 

Passos diz que Costa está orgulhosamente só. Passos, além de outras debilidades facilmente detetadas, está com a vista cheia de impurezas, cataratas, talvez, pois não consegue ver quanto está atrás dele em solidão.

Costa está tão só que já venceu a primeira batalha que lhe apontavam como impossível de ganhar. Unir o partido esfrangalhado, à beira da extinção. É só compará-lo à união do de Passos ou mesmo do de Portas.

Quanto ao orgulhosamente só, a grande diferença entre Costa e a dupla Passos e Portas, é que não está tão mal acompanhado. Costa, tem neste momento, a companhia da maioria do povo e não está em desespero.

Costa não precisa de falar dos dissidentes do PSD e do CDS para mostrar que não está só. Nem precisa de falar das más companhias de Passos e Portas, para lhes mostrar que está mais bem acompanhado que eles.

Costa até podia ter a companhia de Sócrates, que não tem, pois este não é candidato a nada. Mas é melhor que a companhia de figuras que, quanto ao passado, só há tristes figuras, de altas figuras, mas de baixos costumes.

Sócrates, não estando na vida política ativa, é o cabeça de cartaz da campanha da atual maioria. Isso diz bem da baixeza de quem se estava lixando para as eleições e de quem nunca iria desculpar-se com o passado.

Bem ou mal, Sócrates já foi punido pelo eleitorado. Há quase quatro anos. Agora não está em causa e que ele fez ou deixou de fazer. Agora, interessa o que não foi feito, do prometido, e a destruição do que Sócrates deixou.

Sócrates, Costa e os restantes governantes de então, foram tão seguidores de Merkel como Passos e Portas. Gastaram o que lhes mandaram e o que lhes exigiu o PR e as oposições. Mas nunca aceitaram chamar a troica.

Para quem anda agora a cantar de galo com o despesismo e a bancarrota, aconselha-se a que vão às atas da AR à época, aos jornais de então e aos apelos do PR para que nada faltasse aos pobres, aos idosos e criancinhas.

Costa poderá vir a desiludir no futuro, se chegar ao governo. Mas Passos e Portas não são uma dúvida: são uma certeza. São a certeza de que, deles, não se pode esperar mais nada senão a continuação das borradas já feitas.