Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

 

Está delineado o programa da tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da República Portuguesa. Não sei se percebi tudo direitinho ou se me escapou qualquer coisinha. Coisas sem importância.

Desde logo, Marcelo impõe a Cavaco a Ordem da Liberdade. É a primeira imposição do mandato do novo presidente. Suponho que Cavaco lhe fará a sua última imposição presidencial. A ordem de detenção em Belém.

De um modo geral, o cerimonial não andará longe do que é costume. É provável que se gaste um pouco mais do que custou a campanha do agora eleito. Mas também não admira. A receita vinda dos votos compensa.

De realçar que não fui convidado para o banquete. No entanto, apostava que António Costa foi. Claro, o PM, ou havia de ser um qualquer António Costa ou um Costa qualquer. Eles bem se batem ao piso mas, coitados…

Mas, cá para mim, o principal dos festejos é a música. Aqueles nomes sonantes são garantia de que Marcelo não vai chorar por deixar os comentários para trás. Só estranhei a falta da Cátia Guerreiro no elenco.

No entanto, tenho a certeza de que Cavaco não está preocupado com isso. Vai ter imenso tempo para ouvir todos os trabalhos dela em gravações. As passadas e as que vierem no futuro. Além dos muitos concertos ao vivo.

Só não sei o que vai fazer Marcelo no resto do dia das festividades. Parece-me que ainda lhe ficam muitas horas vagas até ir para a cama. Depois, é bem capaz de a estranhar. Mais uma noite em claro… é claro.

Quem não vai estranhar a cama é Cavaco Silva. Sempre dormiu bem e muito, o que fica bem evidente da sua proverbial boa disposição. Como também não vai estranhar a reforma. Estará com Marcelo a tempo inteiro.

Os amigos são para as ocasiões. Se Marcelo ajudou tanto Cavaco, durante tanto tempo, é de esperar que Cavaco ajude Marcelo a resolver problemas tão complicados como os que vai ter pela frente. E por detrás.