Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

22 Jan, 2015

VÁ!... RUA!

 

Meus amigos, sois todos muito inteligentes, muito boas pessoas, tendes ideias fantásticas, fostes uns gestores com ótimos resultados, mas, agora está na hora de mudar de vida. Portanto, a porta de saída é aquela.

Isto é o que eu estou a pensar sobre os administradores da RTP e os seus amigos que tanto os elogiaram. Claro que eles não disseram aquilo, mas eu é que estou convencido de que, se bem o pensaram, melhor o fizeram.

Agora, porém, estou em crer que a nova administração, vai seguir a nova linha de ação, para a nova programação. E é muito fácil. É, deixar de competir com os brincalhões e brincalhonas das privadas. Não têm jeito.

Nos horários em que as privadas brincam, a RTP vai manter-se muito séria. Não tem brincalhões nem brincalhonas à altura das privadas. Vai criar programas em tons de laranja com Jardim, Relvas, Moita Flores e outros.

Mas sem politiquices. Aliás, nem estes, nem os que ainda por lá andam, ensinam alguma coisa a alguém. Não adianta estar sempre a bater na mesma tecla. Deixem isso para as privadas. Aí, é que é política mesmo.

Certamente que também vai acabar aquela escandaleira do Mendes e do Miguel, naquele mercado de ofertas e propagandas, com umas asneiradas à mistura. Toda aquela juventude, merece alguma dieta com seriedade.

E vai tê-la. Os apresentadores vão fazer o que melhor sabem: comer. As ‘meninas e o menino’, vão apresentar os telejornais. Porque não nos ameaçam com as canetas em riste, nem piscam o olho, nem são mímicos.

E os mais velhinhos, os telespetadores do programa cómico, vão fazer palavras cruzadas. É mais instrutivo e não precisam de aquecer as mãos a bater palmas. Quando as saudades apertarem, convidam-nos para jantar.  

Os que sabem escrever, vão fazê-lo a tempo inteiro. Os que sabem ler sem gaguejar, vão contar histórias às criancinhas, para não assistirem às coisas que dão nas privadas. A partir das dez, miúdos e graúdos, cama com eles.

A noite é para as privadas. A política é com elas, as casas e as bailações é com elas, os debates e os deboches é com elas. É tudo para os que gostam de sonhar acordados. E é para os que andam com o sono sempre trocado.

Bom. Fica aqui uma pequena amostra do que, provavelmente, vai ser a nossa televisão. Eu apenas estou a tentar interpretar as esperanças e os desejos de quem nos quer dar melhor do que aquilo que temos tido.