Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

afonsonunes

afonsonunes

01 Mar, 2014

VOLTA OU REVOLTA?

 

 

Miguel Relvas garante que não está de volta. Eu diria que, como já voltou, agora só podia estar de revolta. Ou seja, voltar a voltar. Mas, como isto não soa bem, é melhor concluir que, cheio de saudade, resolveu revoltar.

Porém, não quero ser o causador de alguma confusão que ponha em polvorosa, não só os seus amigos e seguidores mas, sobretudo, o efetivo responsável pela sua revolta. Revolta, que não é revolta contra ninguém.

Até podia ter boas razões para estar revoltado contra quem o levou à falta de força anímica para continuar o brilho das atividades governamentais. Já recuperado e em forma, não quis agora revoltar-se, mas apenas revoltar.  

Deve ter dado uma grande volta aos seus cadernos de apontamentos profissionais e às suas sebentas académicas, concluindo que, depois de bom aluno, pode assumir funções docentes em qualquer matéria.

Dada a notada falta que vai fazer Vítor Gaspar como atual consultor oculto do governo, Relvas viu o furo e nem teve que fazer-se ao piso. Vai começar já a deitar o olho ao que faz Gaspar com Maria Luís.

Em junho, quando Gaspar for o senhor ‘money mor’ do FMI, muito naturalmente, Relvas ficará no lugar dele. Como é um homem de visões, perdão, de visão, fica à espera de, mais tarde ou mais cedo, rumar ao FMI.

Até porque Miguel Relvas sabe perfeitamente que Vítor Gaspar não é do tipo de ficar muito tempo no mesmo sítio. Além de que, Relvas é imbatível em planeamentos. E o FMI bem precisa de um planeador de topo.